Energia limpa e eficiente para Indústrias

Menos custos de manutenção de máquinas, transporte e armazenamento de combustível inflamável. Mais eficiência dos equipamentos e segurança.
Saiba mais

Segurança e praticidade para o seu condomínio

O Gás Natural canalizado não é tóxico e não exige estocagem; com ele, também não existe preocupação com troca de botijão.
Saiba mais

GNV: Economize com combustível

O GNV rende mais e custa cerca de 50% menos que outros combustíveis, além de emitir menos poluentes e ser fácil de instalar.
Saiba mais

Versatilidade e vantagens para o Comércio

O Gás Natural oferece muitas opções de utilização, da climatização ao forno do seu estabelecimento comercial.

Saiba mais

01 - Notícias

  • 05
  • JUL
  • 2017

Fique atento às normas de segurança do GNV

O gás natural é mais seguro que os combustíveis líquidos. Por ser mais leve que o ar, dispersa-se rapidamente, evitando o acúmulo de gás em caso de vazamentos. Outro aspecto é que durante seu abastecimento não há contato do combustível com o ar, diminuindo a possibilidade de combustão. A segurança do GNV, todavia, depende da estrita observância às normas, inclusive na manutenção e durante o abastecimento.

Antes e durante o abastecimento de gás natural, o consumidor deverá seguir as normas de segurança mantendo o veículo estacionado em local previsto e com o freio de mão acionado; o motor do veículo deve ser desligado, assim como os faróis, rádio (equipamento de som) e telefone celular; todos os ocupantes do veículo devem desembarcar; todos os equipamentos elétricos e eletrônicos dentro da área deverão permanecer desligados durante o tempo de abastecimento; o condutor deverá abrir o porta-malas e o capô do veículo; o frentista deverá fazer o aterramento junto à válvula de abastecimento e durante o abastecimento de gás natural é proibido fumar ou utilizar isqueiros dentro da zona de abastecimento.

Após o abastecimento de gás natural, certifique-se de que a mangueira de abastecimento de GNV foi desconectada antes de religar o veículo. Os postos revendedores de GNV têm que informar de maneira clara ao consumidor a pressão máxima de abastecimento de veículos que utilizam esse combustível. O valor máximo da pressão de 220kgf/cm² tem que ser fixado na bomba, para evitar que o consumidor seja induzido a erro pelos postos que anunciam vantagens num abastecimento com pressão superior a este limite.

 Cuidados com a instalação do kit GNV:
I. Somente fazer a instalação do kit em oficina homologada pelo Inmetro;
II. Exigir da oficina instaladora, a nota fiscal e o Certificado de Homologação do Inmetro, para fazer o registro de conversão do Detran;
III. Fazer as revisões periódicas do kit e cilindro só em oficinas homologadas pelo Inmetro;
IV. Não aceitar peças usadas, cilindro recondicionado ou de procedência desconhecida e tubos de cobre. Na instalação, exigir tubos de aço.

Manutenção Periódica
Para a segurança do consumidor, deve se fazer a requalificação (reteste) dos cilindros de alta pressão a cada cinco anos, em uma oficina credenciada. A requalificação do cilindro também deve ser feita quando for reinstalado em outro veículo.

Proibido uso de Recipientes de GLP e Similares

O consumidor deve estar alerta sobre os riscos de segurança da utilização de recipientes de GLP (botijão de gás de cozinha) ou de refrigeração no abastecimento com gás natural. Esses cilindros não são adequados para o uso veicular, não suportando a pressão do GNV e estourando durante o abastecimento.

Fonte: www.brasilpostos.com.br/ www.anp.gov.br
 

voltar
0 Pessoa(s) Comentaram:

Os campos abaixo apresentam erro:

    Cadastrado com sucesso